FLACSI

Idioma:
Síguenos Facebook YouTube

Pe. Cristobal Fones, SJ: “Para os jovens, a dimensão artística ajuda a representar outras buscas que lhes permitem encontrar o seu projeto de vida”

Publicado el lunes 17 de noviembre, 2014

headerFormado em 1992, no Colégio San Ignacio El Bosque (Chile), Cristóbal Fones, SJ., é reconhecido em todo o continente como um dos cantores e compositores de música religiosa mais importantes.

De criança, participou ativamente na comunidade eclesial. No Colégio San Ignacio El Bosque, recebeu uma formação orientada ao serviço dos mais necessitados. Durante seus anos de formação, a música está presente, acompanhando várias obras apostólicas e sua própria experiência de oração.

É precisamente a música que tem conduzido ele por nosso continente e outros lugares ao redor do mundo, reunindo experiências, histórias de vida e inspiração para chegar principalmente aos jovens, com quens ele trabalha ativamente.

Diversidade Musical

10580678_873391579359982_8859147821853804116_oRecentemente, gravou seu oitavo álbum, “Ite inflammate omnia, composições jesuítas”.

Este é uma compilação de canções compostas por jesuítas em todo o mundo. O recorde reflete a diversidade: podemos encontrar desde um coral tradicional Frances, até uma bachata Dominicana, ou uma canção tribal de Zâmbia. “Há muito tempo eu tinha vontade de recopilar, sempre me interessou saber o que estão fazendo meus colegas nesta área, além disso eu sempre esteve ligado a este mundo, pois participe de um encontro de artistas jesuítas da América Latina, em Salvador, Bahia, no Brasil, e na minha estadia nos Estados Unidos conheci muitos jesuítas dedicados à música. ” Pé Fones disse.

“Fazendo o álbum me senti muito próximo a jesuítas que não conheço, que, apesar da diferença em distância, culturas e línguas, compartilhamos algo tão comum que é a espiritualidade inaciana. Isso me gerou muita consolação”.

destacada

Um dos objectivos de fazer este álbum é mostrar, principalmente aos jovens, a Companhia Universal através das pessoas que fazem música. “Se conhece muito pouco do que a Companhia Universal faz. Nossa missão é realmente interessante com os migrantes, em questões educacionais, na espiritualidade. Então, quando a gente começa a conhecer o que os jesuítas fazem em todo o mundo, a gente também fica animado com esa missão “, diz ele.

Você pode ouvir Ite omnia inflammate de modo on-line, clicando aqui

2

“O modo de compreender a nossa missão, é a colaboração”

“Hoje, um dos objetivos para a Companhia de Jesus – que é mais do que uma estratégia – é a colaboração; trata se do conteúdo mesmo da forma como entendemos a missão. Trabalhar pensando internacionalmente gera outro tipo de movimento, sinergia, desejos. Se eu estou gravando uma música da República Dominicana, meu interesse é que não seja uma aberração o fato de ser escutada lá, e isso significa pesquisa, abertura à cultura, ouvir música local, etc. Esta experiência de encontro tem sido reunião muito bonita”.

4

“A América Latina é um coração grande, mas somos diversos. Falamos uma mesma língua, mas nos enriquece que somos diferentes. É fascinante para um artista se abrir a isso: conhecer, escutar e deixar morrer coisas de si, para se abrir a outras coisas dos outros “, conclui.

A vocação nos jovens

10265509_785636068135534_2960842282087827824_oNo trabalho com os jovens, Pe. Fones identifica que hoje, muito poucos jovens, homens e mulheres, discernem sua vocação diante de Deus e da sociedade. “Os jovens de hoje, reunem interesses e habilidades, projetando anseios em algum tipo de projeto de vida, mas quando você não se inclui a questão do outro, ou seja, o “que se espera de mim?” é muito difícil que a vida seja uma resposta, senão que tudo se torna num “o que quero fazer?”, “o que posso fazer?”. Mas a graça de incorporar a questão de Deus, dos pobres, da sociedade no discernimento, é que tira de você, coisas que você nem sequer imagina. Desperta anseios, desejos, e capacidades que você não se conhecia “.

O Pe. Cristóbal enfatiza na importância das capacidades artísticas nos jovens para o seu desenvolvimento e crescimento integral, explicando que “temos de desenvolver mais a dimensão artística na sociedade em geral e nossa educação em particular, pois a arte desenvolve e ensaia respostas sobre o sentido da realidade, âmbito que nunca vai poder se responder desde a área científica, que nos ensina como as coisas funcionam, mas não responde o “porquê” eo “porquê” delas. Essas são questões muito profundas do ser humano que não podemos soltar, porque às vezes vivemos sabendo o que fazemos, em uma espécie de “causa -efeito”, mas não entendemos o “porquê”; ou seja, o sentido que tem. E para os jovens, a dimensão artística ajuda a representar outras buscas que permitem encontrar o seu projeto de vida“.

resumenç

Convidamos vocês a conhecer mais sobre sua música, clicando aqui, ou também a sua página em facebook. Se você quiser comprar o seu novo álbum, você pode fazê-lo através de Candil, clicando aqui. Logo estará disponível on-line no iTunes e Spotify.

1